segunda-feira, setembro 10, 2007

JÁ NÃO HÁ PESSOAS ASSIM

Ia eu a caminho do emprego, o relógio marcava 8.45 , quando me deparei com este quadro ternurento. Esta senhora , de seu nome Fernanda Pintassilgo com quase 100 ANOS DE IDADE,
logo pela manhãnzinha, transportou esta escada que estão aqui a ver e todos os apetrechos para caiar a sua casa de branco , antes da chegada do Outono. Sózinha, sem ajuda de ninguém, subiu a escada com agilidade que a sua idade permite, carregando uma lata de cal para o trabalho que destinou fazer durante esta manhã.


Passo a descrever o que fazia: subia a escada , ia caiando a parede e descia a escada. Limpava os pingos que cairam, sem querer , voltava a puxar a escada mais para a frente, subia e assim sucessivamente...

Quando passei a seguir ao almoço, já estava quase a terminar a sua obra. Ainda não tinha almoçado . Quando terminou, o seu ar de satisfação era evidente: tinha terminado a sua obra e deixado tudo branquinho e reluzente.
Eu não era capaz de fazer nem metade do que esta MULHER fez. Sim Mulher com letra grande. Por vezes passo e lá está ela remendar a sua roupa , sem óculos, sentada à porta de sua casa e onde vai cumprimentando quem por ali passa: Bom dia Maria, bom dia Manel então como vai essa saúde ? Pergunta a D. Fernanda a sorrir, dos seus quase 100 anos de muito trabalho.

BEM HAJA D FERNANDA POR EXISTIR E NOS DAR INCENTIVO DE SEGUIR-MOS SEMPRE EM FRENTE, SEM BAIXAR OS BRAÇOS.
UM GRANDE BEIJINHO

Ana Paula

(ampliar fotos para melhor visualização)

14 comentários:

Méon disse...

Querida conterrânea:
Fiquei emocionado com este post. Tanto a dizer sobre ele e... eu com tanto sono, hoje foi mais um dia de trabalho árduo na preparação do ano lectivo.
Mas voltarei.

Só quero dizer-lhe que são uma maravilha as fotos e as pequenas legendas que aqui tem colocado, sobre a minha saudosa Alpiarça. Será que conseguirei ir à Alpiagra este ano?

Bem haja!

Maria disse...

Tão ternurento este teu post.....
Não chegaremos a essa idade... também não temos casas para caiar......

Beijinhos, Ana Paula

greentea disse...

ficamos pasmados.... com tanta agilidade e energia! o meu sogro até aos 95 também fazia tudo sozinho.

A vida desses tempos era completamente diferente ...

Paula Raposo disse...

Que ternura! Mulher com M grande como existem poucas. E tu, que bem soubeste enternecer-me com as tuas palavras. Beijos a ambas.

albertokorda disse...

Ana
Eu tenho várias fotos dessa senhora, como tu já deves ter visto, rsrsrr
Eu tb passei nesse dia por ela.

Méon disse...

Veja o que fiz no AO RODAR DO TEMPO a este seu post.
Merece-o!
Mais uma vez: obrigado!

Era uma vez um Girassol disse...

Que belo exemplo de vida, de energia, de perseverança.
Muito temos que aprender com mulheres desta fibra!
Que continue com essa força e ainda consiga pintar a casa muitos anos!!!!
Bjinhos

Sophiamar disse...

Um post muito ternurento e que nos deixa pasmadas. Ainda há MULHERES assim! Que maravilha!

Beijinhos

Luis Eme disse...

Lindo retrato de uma geração de pessoas, do tempo do "antes quebrar que torcer".

As mulheres então, tinham uma capacidade de multiplicação, notável, em todos os sentidos.

Barbaçana disse...

Pena que os proprietários de grande parte das casas da Rua José Relvas (rua principal) não tenham a coragem dessa avozinha com quase 100 anos e deixem chegar as fachadas das suas casas ao estado lastimoso em que se encontram. A rua principal de Alpiarça que tem casas com uma traça arquitectónica invejável, faz-me muitas vezes lembrar aquelas cidades fantasmas do velho Oeste americano. Ainda ontem passei na Chamusca e que regalo para a vista ao ver o modo como aqueles proprietários souberam e sabem conservar tão invulgares e belas arquitecturas. Nós aqui por Alpiarça, vamos vendo prédios a cair de podre e um que há dez anos tem uns andaimes e panos à volta para que as pedras que caiem do 2.º andar não magoem os transeuntes. Eu acho que é uma questão de cultura. Muitos deles preferem ter um carro de 50.000 euros à porta de casa mas não são ao menos capazes de gastar 5.000 a beneficiar as suas casa e dar um pouco de vida e beleza a esta outrora bela Rua Direita, da minha infância.

Pepe Luigi disse...

Que continuem a haver "Padeiras de Aljubarrota.

Pitanga disse...

E nós nos queixamos quando temos que lavar a louça.

beijos caiados.

marialves disse...

Parabéns pela lição de vida que nos oferece através das tuas fotos.

Holograma disse...

Ana!Que Bela reporter me saíste!Sabes captar a essência que fica pra quem queira preservar os Verdadeiros Valores!Grata!
Eu sou a Rosarinho