domingo, março 09, 2008

VIDA DE POMBO
No lugar de folhas... pombos

Aproximei-me e ...não fugiram

Aproximei-me mais e ... continuou lá, a olhar para mim


Estes são de Santarém... são pombos Ribatejanos
Amados por uns... odiados por outros

Pombo citadino que nas ruas vives
alimentado entre milho e pão molhado,
Pombo que caminhas com a mensagem,
Pombo que circulas sem nome,
Pombo que és pombo...
Uns de ti se aproximam e te admiram...
Outros de ti fogem com vergonha,
talvez medo, fobia, não sei...
Voas, voas e continuas ainda a voar...
Sem rumo, sem mensagem,...
Pisas a água no calor da tarde quente,
Molhas o bico e caminhas por ai...
Nessa cidade mágica de luz,
Nesse paraíso que escolheste viver...
Voas com liberdade, com segurança, com fantasia...
De mil cores és pombo, és pássaro que voa!
(autor desconhecido tirado da net)
(as fotos são minhas)

3 comentários:

Gi disse...

Bonitas fotografias que iustram o poema. Gosto de pássaros, todos os pássaros em excepção mas não sou insensível aos que se queixam dos estragos que os mesmos provocam.Há que controlar a natalidade e não os deixar invadir algumas zonas, segundo alguns estudiosos são tão portadores de doenças como algumas ratazanas e se podem fazer perigar a saúde pública o meu amor pelas pessoas sobrepõem-se ao das aves .

Um beijo

LUIZ SANTILLI JR. disse...

Cara Ana

Cada blog tem seu estilo próprio.
O seu blog é seu estilo, suave, com fotos interessantes, emolduradas por um lindo poema!
Muito sutil!
O meu tem outro aspecto, é minha cara, exagerado em tudo que faço!
Mas adorei sua visita e gostaria que voltasse mais vezes!
Espero que não sejas uma pomba fugidia!
Vou colocar seu link no BOA LEITURA, para facilitar nossas visitas!
Porém tenho meu lado mais sutil também em CRÔNICAS.

Beijo e abraço

Luiz

fj disse...

Amiga!!!
foi por muito pouco que não apareci na tua 3ª fotografia, como figurante ;)
Beijos conterraneos