terça-feira, novembro 11, 2008

ANTÓNIO FLOR DA SILVA/ ALPIARCENSE
ADMINISTRATIVO, DINAMIZADOR CULTURAL NA ÁREA DO FOLCLORE,TEATRO,COMUNICAÇÃO SOCIAL e ENCENADOR


Homenagem Póstuma a António Flor da Silva falecido a 23 de Maio de 1991



Dirigiu o Grupo Cénico de Alpiarça levando o Grupo a actuar nos melhores palcos do nosso país, com espectáculos de variedades e teatro


Aqui exercendo a actividade jornalista , representando o Jornal Voz de Alpiarça, Rádio Ribatejo e Rádio Renascença para quem fazia apontamentos de reportagem


Com amigos nas termas de Monte Real, onde normalmente passava férias

Tó Flor ( como era tratado por todas as pessoas suas amigas), foi uma figura carismática no mundo da cultura em Alpiarça, onde deu tanto de si próprio e muitas vezes foi incompreendido por algumas pessoas .Marcou bastante toda a comunidade alpiarcense. Até hoje ninguém tomou o seu lugar pois pessoas com o carisma de Tó Flor, nunca mais existiram em Alpiarça para dar continuidade ao seu valioso trabalho .
Deixo aqui a minha simples homenagem ao Homem da Cultura com quem tive o prazer de conviver desde os meus 8 anos, onde fiz parte do Rancho Folcórico por ele criado, assim como do Grupo Cénico Infantil na área de teatro e variedades.
Aguardo ainda pela homenagem mais que justa , ao Sr. António Flor da Silva que tanto deu à cultura em Alpiarça.Para quando?
Ana Paula
(fotos tiradas do jornal voz de Alpiarça)

4 comentários:

Méon, disse...

Olá, Ana Paula

Só hoje passei por aqui. E tanto que gostei de ver a evocação que faz do Tó Flor!
Conheci-o bem, colaborei com ele, e já fiz, há uns anos, na Voz de Alpiarça, o apelo que você aqui faz. Para quando uma homenagem condigna?

Sugiro que você dê o pontapé de saída. A viúva do sr. Tó, a D. Fernando Flor, tem um espólio valioso de todo o trabalho que ele fez: fotos, etc. Há que aproveitar isso enquanto ela for viva. Comece você, Ana Paula. Uma exposição na Biblioteca... Há muita gente viva que esteve no Grupo Cénico: a viúva do Tavares da loja, a Gina Pacheco; a irmã dela, Fernanda que foi a grande estrela do grupo e chegou a gravar um disco, vive no Algarve; os filhos do Sr. Armando Raia, enfermeiro, ( a Fátima e o Jorge Catela), os irmãos Camarinha (o Óscar e o Orlando...), etc...
Obrigado por esta lembrança e... mãos á obra!

Observação: a foto que você refere como sendo do grupo cénico, não é. Quando ela foi tirada já não existia esse grupo, que viveu na década de 50.
A foto que você aqui mostra é de meados dos anos 60. Foi tirada em Fátima (vê-se bem a torre da basílica). Trata-se de um grupo de pessoas , organizadas e ensaiadas pelo Tó Flor, que fez vários espectáculos de teatro e variedades, com a finalidade de angariar fundos para comprar os belíssimos ( e caríssimos) bancos da Igreja de Alpiarça, feitos na serração do Gameiro ( o Sr. Gilberto, que era lá encarregado, deve lembrer-se bem.)
Nessa foto está o meu pai, aquele senhor careca quase ao lado do Tó Flor, que fez parte desse grupo. E estão muitas pessoas conhecidas: a D. Graciosa, que faz a "Mulher no Lar" na Voz de Alpiarça, e que vive em Torres Novas; o Figueira padeiro e o filho Henrique, já falecidos; o sr. Armando Raia, o farmacêutico da farmácia Leitão, o Samirra... Tantos...

Beijinho do conterrãneo
Joaquim Moedas Duarte

Ana Patudos disse...

Caro conterrâneo
Tudo o que aqui escreve é verdade.Eu fui um dos elementos do Grupo Cénico ( entrei em 1968). Quanto à imagem em Fátima , eu sei que não é o Grupo Cénico mas um grupo anterior, aliás eu coneci todas essas pessoas ali na foto, algumas ainda são vivas felizmente.Sou muito amiga da D. Fernanda , com quem me cruzo todos os dias , pois a Biblioteca fica a dois passos de sua casa.Muitas vezes lhe digo para quando a justa homenagem e ela na sua simplicidade, sorri para mim.As forças políticas da nossa terra nunca se mostraram interessadas nisso, até aos dias de hoje, inclusivé.
O Figueira Padeiro acompanhou-me muitas vezes, assim como o seu filho Tó Zé que tem uma casa de instrumentos musicais em Santarém, onde seu filho também segue os caminhos da música.Foram tempos que jamais se apagaram da minha memória esses que passei. Sózinha não tenho grandes possibilidades de avançar , mas digo-lhe que gostaria de montar um espectáculo de pequenos apontamentos de teatro e variedades com antigos elementos dos dois grupos assim como o Rancho Folclórico, tendo como homenagem principal a figura inesquecivel do Sr. Tó Flor. Obrigado pelas suas palavras de incentivo.
Fique bem
Ana Paula
.

Méon, disse...

Já depois do meu comentário,dei conta de que, provavelmente, eu tinha sido muito sentencioso. Nomeadamente quanto à referência ao nome do grupo Cénico. Peço desculpa.
De facto o que mais interessa aqui é saber que o Tó Flor dinamizou vários grupos. E seria muito bonito, e justo, que se fizesse a tal evocação.
Chamar-lhe "homenagem" talvez seja pouco indicado, pois a força dominante em Alpiarça não lhe deve perdoar( ao Tó), o facto de ele não ser abertamente contra o governo de Salazar. Ele, tal como a maioria das pessoas na altura, estava acomodado. Mas, na medida em que mexia na cultura, já era "revolucionário"...
Vá, tente arranjar aliados e parta para essa "evocação/memória".

Força

Um abraço de quem a admira!
JMD

Ana Patudos disse...

Concordo consigo.
Evocação / memória está muito bem.
A ideia está na minha cabeça e será posta em prática num futuro que espero seja próximo, veremos.
Os contactos talvez sejam os mais difíceis , pois muita gente já não reside em Alpiarça. Mas nada é impossível.
Abraço conterrâneo
Ana Paula