quinta-feira, junho 21, 2007

ABRI O MEU BAÚ DE MEMÓRIAS E QUANTAS COISAS BOAS ME VIERAM À MENTE...

O triciclo da minha prima, onde eu acelerava no quintal da nossa avó querida ( tinha 3 anos)


Eu e a minha prima, vestidas de tropas. Pareço mesmo um rapazito de cabelo curtinho e calça à meia canela (tinha 4 anos). Gostávamos de nos mascarar pelo carnaval

A dança e o canto sempre fizeram parte da minha vida. Fui elemento fundador do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Alpiarça.( sou a 3º a contar da esquerda com a ponta do lenço colocada à direita e de pé)
este foi o nosso 1º e único vínil em 45 rotações

Representei a minha terra por esse Portugal fora e não só ....(estou na primeira fila, a 3ª a contar da direita)
As danças e os cantares ribatejanos sempre no nosso coração



Quando entrei para o Grupo ia fazer 8 anos e só saí de lá aos 15 anos.
Ali fui feliz...




O carnaval para mim sempre foi como estar num palco a representar, vestindo muitas personagens ( aqui só tinha 9 anos)




Este sempre foi o meu sonho maior: subir a um palco, deixar a minha voz voar até onde pudesse
(sou a menina dos totós á direita), e tinha 11 anos...



Este Grande Prémio foi realizado no Teatro Rosa Damasceno em Santarém e passado em directo pelo Rádio Clube Português (que saudade)



A canção chamava-se "Homens do Futuro" e começava assim:

Crianças correndo,
bandos de avezinhas,
de batas vestidas, de batas lavadas,
somos barco ao vento,
mensagens branquinhas,
fadas encantadas, bando em movimento...


E a música e a dança continuaram na minha vida...
Aqui o Grupo Aguarelas de dança moderna, em pleno sarau de ginástica no Clubes Desportivo " Os "Águias" ( sou a da esquerda e tinha 13 anos)




O meu filho Edu seguiu-me as pisadas e desde os 3 anos começou a pisar os palcos( aqui com 6 anos cantando num festival da canção infantil)
Agora com quase 21 anos, a música vive dentro do seu coração



O meu sonho acabou e agora sou uma nebulosa neste espaço de infinita beleza onde vou flutuando ao sabor da luz do Universo...



Misturada por entre gente anónima como eu, vou vivendo a minha vida com alguns sonhos para ir realizando por aqui, onde vou voando...

Beijos da vossa amiga Ana Paula que aqui vos deixa um pedaço de vida
Fiquem bem

25 comentários:

Era uma vez um Girassol disse...

Fantástico, Ana Paula!
Tantas recordações lindas...
Actriz, cantora, pisando o palco com grande à vontade!
E o teu filho saindo a ti...
Muito bonito, parabéns!!!!
Beijinhos

Paula Raposo disse...

Deliciosas estas fotografias e as tuas memórias. Gostei imenso. Muitos beijos.

JMD disse...

Revi com muita emoção as fotos que representam o Grupo da Casa do Povo. Lá vi o saudoso Tó Flor, na foto em que o grupo pousa junto do cruzeiro centenário do adro da Igreja de Alpiarça. Adro onde tantas vezes brinquei, onde passei horas a regar a relva...
Na outra foto, o Grupo está na escadaria exterior da Casa-Museu dos Patudos.
E depois as outras fotos, como as do festival no Rosa Damasceno, em Santarém, que mão criminosa incendiou há tempos para lá se construir mais um mamarracho de enriquecer pato bravo...

Obrigado por partilhar o seu álbum. Uma vida, já.
Mas há ainda mais para viver. E vi o trabalho que tem feito na biblioteca... Não estou errado, pois não?

Citando: desejo que fique bem.
Um abraço conterrâneo

Joaquim Moedas Duarte

greentea disse...

ricas memórias ...de um baú cheio !

Maria disse...

Obrigada por nos mostrares o teu baú de recordações.
Tenho uma única palavra para as fotos : TERNURA...

Brijinhos

bettips disse...

Com música e dança em ti, com tanto movimento de Arte, vejo como te consegues animar com as coisas menos boas. Não és anónima para todos com quem partilhas a vida, o trabalho. Tenho a certeza porque te tenho lido. O que fazes, onde o fazes, é MUITO importante, Ana! As recordações e as fotos são lindas. Obg. Abraço

viajante disse...

Ir ao baú e reviver toda-ou quase- uma vida é uma delícia e uma ternura.
Texto de excelência.

JMD disse...

Volto a comentar. Para lhe dizer que respondi aos seus comentários no AO RODAR DO TEMPO.
Bj conterrâneo.

Teresa David disse...

É sempre tão interessante revisitar o nosso passado através destas fotos já um pouco alteradas pelo tempo.
Adorei.
Mts bjs e bom fim de semana
TD

Ana disse...

Andando de um lado para o outro, vim aqui parar e gostei.

É sempre agradável conseguirmos recordar as nossas memórias, mesmo que às vezes nos doa um pouco.

Já visitei a Casa Museu José Relvas e achei muito interessante.

Bom fim-de-semana
Beijito

AnaG. disse...

Ana

Desculpa, mas passou-se qualquer coisa. Claro que o meu perfil é visível.....
Beijito

Leticia Gabian disse...

Querida Ana,
Temos tanto em comum, afinal!
Um dia, também vou abrir o meu baú. Mas, já o fiz, de certa forma, e podes dar olhada no http://leticiagabian.multiply.com ,
Em photos.
E o teu filhote a seguir os teus passos....Tão lindinho!
Grande beijo pra ti

o alquimista disse...

Pedaços de uma vida tão bonita...enterneceste-me...!


O beijo da bruma com a água, é dança de dispersos sonhos, perdidos no silêncio desta baía, por longos e agrestes caminhos. Sentei-me! No peito ausência, a luz não tem hora, a paixão solta de amarras, que teima em não ir embora. Gira a vida em sua roda, invisível, celebro os dons da terra com a aurora...

Bom domingo


Doce beijo

Luis Eme disse...

Nunca desistas, de nos encantar, com estas coisas que vais buscar ao fundo do teu baú...

kurika disse...

Um baú cheio de ternura e carinho...e muitos sonhos realizados, sente-se agora alguma tristeza no ar...porque será?

...nunca é tarde, nem fora de época sonhar...e tentar realizar esses sonhos.

Tenho a certeza que dentro desse anonimato de que falas...há muita coisa bonita para dar...

Um beijinho

Ana Patudos disse...

era uma vez um girassol
Obrigada pelas tuas palavras sempre amigas
bjos
AP

paula raposo
Paulinha obrigada por passares por minha casa, onde sabes que sempre és recebida de braços abertos
bjos
AP

jmd
Caro conterrâneo, obrigado pelas palavras.
Infelizmente o Teatro Rosa Damasceno teve um fim triste, queimaram-no e agora é pura expeculação imobiliária, restando só a fachada. Quando passo por lá doi-me o coração.
Quanto ao que fala da biblioteca, é verdade damos sempre o nosso melhor em favor de toda a comunidade alpiarcense, mas das crianças em geral , que são os que vê depois de nós.
Abraço
AP

greentea
do baú também saiem algumas tristezas, que também foram importantes para mim como ajuda para o meu crecimento pessoal como ser humano e tentar melhorar sempre.
As tuas palavra são sempre muito importantes para mim , assim como o teu conhecimento
bjos
AP


maria
minha querida amiga
ternura e muito amor para que possamos ser felizes, embora nem sempre o consigamos. Mas pelo menos tentamos...
grande bjo
AP

bettips
os momentos menos bons muitas vezes são preenchidos com os filhos que amo muito, a arte, a música, os pássaros, as plantas os animais, enfim este nosso mundo que nos rodeia e que é belo , mas alguns fazem tanto mal.
fica bem
bjo
AP

viajante
Modéstia a tua. São só palavras simples e imagens já vividas de forma intensa e feliz.
bjos
AP

teresa david
É sempre bom recordar o lado bo e o menos bom , pois eles completam-se, não é?
beijos
AP

anag
obrigada pela tua visita e as tuas palavras. Volta sempre que quiseres, a porta estará sempre aberta a quem vier por bem.
bjo
AP

leticia gabian
Querida amiga. Nada acontece por acaso. Tudo o que se passa na nossa vida tinha que ser vivenciado assim desta forma.Todos os que nos temos cruzado por aqui, temos algo em comum, nem que seja a coisa mais simples, já reparaste?
fica bem e sê feliz
beijos
AP

o alquimista
querido amigo, obrigado pelas palavras que me deixaste.
Eu sou assim mesmo, sem artifícios, fingimentos, falsidades. Quando sou feliz, sou; quando estou triste estou; quando sofro, sofro; quando estou bem , estou...
Para mim, por vezes , um sorriso vale mais que mil palavras.
fica bem
bjo
AP

luis eme
Já lá vão quase 46 anos. É muito tempo e muita coisa vivida e por viver. A vida é assim, coisas boas e coisas menos boas . Somos feitos de opostos , por isso o ser humamo é o que é...
beijos
AP

kurika
amiga, tu lês a mente das pessoas? Tudo o que aqui escreveste é verdade...
beijos
Fica bem
AP

pitanga disse...

Se eu abrisse meu baú de memórias da infância até dava eco. Nunca fantasiei-me no carnaval, nunca tive triciclo ou bicicleta ou qualque coisa que andasse comigo em cima, nunca participava de festas de escola nem tirava fotos nem e nem e nem...
É por isso que agora danço e escrevo e me visto e tenho o meu cerejinha que me leva aonde quero e tiro fotos dos meus amores perfeitos e fantasio a Julinha e...

Ana Patudos disse...

pitanga doce
pitanguinha amiga, agora já não faço nado do que fazia. Agora a criança que ainda há em mim, faz para as outras crianças e assim sou mais feliz. Talvez seja uma parte da minha missão por aqui, na Terra.
bjos
AP

greentea disse...

fiquei a repara nas "modas"...

era o tempo da mini-saia e da peúga!

Lembro-me duma escola por onde passei que nos obrigavam a usar meias, a continua da porta chegava ao desplante de nos apalpar as pernas para ver se tinhamos meias de vidro...
Já éramos crescidas 16 ou 17 anos e usávamos até sapatos de salto mas no final do ano lectivo fazia calor e a meia de vidro era deixada na gaveta; levávamos então umas peúgas no bolso da bata que calçávamos ali mesmo ao paasar da portqa da tal escola e elas ficavam furiosas : sapatos de salto e peuga, tás a ver ? Era um gozo mas não infringiamos o regulamento e elas nada podiam fazer...
Na hora da saida , voltávamos a guardar a peuga no bolso da bata.

Kalinka disse...

Adoro estas recorda�es...mas, fico sempre com uma l�grimazita no canto do olho, pois 80% das minhas mem�rias fotogr�ficas foram para o lixo...(impens�vel).

Entretanto, estamos no Ver�o, e isso significa muita agita�o.
Foi assim que a minha �ltima semana se passou - � s� eventos importantes; o lan�amento do 1� livro do Amigo Augusto, do blog Klepsidra;
a exposi�o de pintura da Amiga Margusta e, para a semana terminar em beleza, queria muito ir ao lan�amento do livro do Amigo M�rio...mas, n�o vai dar, pois � em Vila Nova de Gaia.
Depois de ter recebido os convites...decidi p�r-me a caminho.
Fui conhecer o bar/restaurante Ondajazz - Travessa Arco de Jesus,7 - Campo das Cebolas.
Vem comigo a uma esp�cie de visita guiada.

Bom fim de semana.
Abra�os.

Pepe Luigi disse...

Ana Patudos,
Uma bela mostra de recordações.
Afinal recordações são aquilo que mais saudades nos deixam na nossa vida.
Embora tenhas atingido o patamar de viver misturada entre gente anónima, possuis uma grande riqueza:
A de poderes reviver as tuas recordações!

Um beijinho
do Pepe.

o alquimista disse...

Em sua cabeça o silêncio da lembrança, em cada passo o abandono das recordações, uma penumbra povoa as dores em teu coração, no céu percorrem as nuvens em procissões.

Boa semana


Doce beijo

Vladimir disse...

nunca pares de sonhar....o sonho comanda a vida....e esfor�a-te por dar forma aos teus sonhos...adorei...

Tozé Franco disse...

Gostei de conhecer este percurso.
PArabéns.

Pitanga disse...

Gostas do Porto? Vai lá em casa.

beijos