terça-feira, fevereiro 26, 2008

Não gosto de política nem de políticos , nem de partidos políticos, mas aproveitando a palavra BASTA deste cartaz, que por ironia do destino foi colocado aqui encostado ao que resta dum plátano que mais parece um cabide,e foi impedido de crescer... em Salvaterra de Magos
Uma Avenida em Almeirim, sem flores nem árvores... apenas troncos



Porquê umas sim e outras não, como é feita a escolha?
em Almeirim


Sendo a estrada a mesma, dum lado corta, do outro não...
PORQUÊ?



É tão frágil e mesmo assim não escapou à " poda "


Alpiarça
Esta foi a que me doeu mais, porque passo por ela todos os dias e sei como ela era e como ela está
É uma amoreira que dá (será que mais alguma vez dará alguma coisa?) amoras muito doces.
Será que vai crescer a tempo de fazer sombra aos carros que debaixo dos seus ramos refrescavam?



Fiquem bem
Ana Paula


8 comentários:

Maria disse...

Troncos despidos de braços erguidos ao céu......

Beijinho, Ana Paula

bettips disse...

É de doer a alma... Horrível. Não é doença nas árvores, é doença nas pessoas, aquelas mentes burras.
Está tudo louco!
Adiantam os santos? Nada, bolas... só se arranjarmos padroeiras para as árvores ou inventarmos um milagre debaixo/em cima delas. Fico doente...
Bjinhos

Luis disse...

Cortam-lhes os braços para que não lhes tapem a cobardia.

fj disse...

Curiosamente tenho reparado neste tipo de podas das mais diversas arvores neste concelhos vizinhos. Alguma nova moda ou então algum iluminado dedicado á causa.
Continuação de boa captação de imagens(curiosas).
Beijinhoss

Meca disse...

é o país que temos amiga... mas isto um dia muda. A natureza encarrega-se disso.
Beijinho
GOri

Méon disse...

Estas podas não são de agora. Cá pelos meus lados já se faz isto há muito tempo, apesar dos protestos. E ainda ninguém me explicou a bondade delas. As árvores não são podadas, são mutiladas, cortadas ao meio...

Julgo que o problema tem a ver com o facto de os senhores autarcas não perceberem nada de árvores e mandarem plantar a esmo. Depois elas crescem e verifica-se que são desproporcionadas em relação ao espaço onde foram postas. E no Outono largam milhares de folhas que entopem os sorvedouros de água. E criam demasiada lenha...
Será?

Prefiro não ver árvores a vê-las assim, como estas que a sensibilidade da Ana P. tão bem captou.

amigona avó e a neta princesa disse...

Minha querida não gostas de política mas política é VIVER! O que aqui mostraste é política e o teu "grito" de protesto também foi política!!! Simples, não? Beijinhos...

Rosa dos Ventos disse...

Tens que perguntar no Departamento do Ambiente do município ou então a algum jardineiro camarário.
Sei que algumas árvores devem ser podadas agora, mas essas são todas da mesma espécie?

Abraço