sexta-feira, março 21, 2008

DIA MUNDIAL DA POESIA





Um dia virá
em que o aroma das flores que plantei
elevar-se-á ao cume da falésia
sustendo o suicida.

Um dia virá
em que o fogo que pisei
dará lugar à nostalgia dos albatrozes
que assinalam nos mapas
os lugares de naufrágio.

Até lá,
dormirei encostado à memória de um lago gelado,
a lâmina contra a pedra.






poema de João Moita
( jovem escritor alpiarcense)

2 comentários:

Sophiamar disse...

Gosto muito de poesia e conhecer um novo poeta é sempre motivo de alegria.

Viva a poesia.

Beijinhosssss

Paula Raposo disse...

Gostei imenso deste poema. Beijos.