sábado, novembro 25, 2006





O TEJO galgou as margens, tropeçando no salgueiral que se alinha ao longo do seu leito, vindo chorar na lezíria ; de gentes firmes e terras férteis.

6 comentários:

Era uma vez um Girassol disse...

Texto casando com as fotos...
Triste...Lágrimas demais!
Bjs

Maria disse...

Mas o Tejo subiu isso tudo?
é uma pena que tanta beleza traga tanta tristeza...
Muita água, muito rio, apesar de tudo... muito bonito
Um beijo

viajante disse...

O eterno drama das gentes que sofrem com as cheias. É assim há tantos anos... Nunca vai acabar?

Ana Patudos disse...

era uma vez um girassol
por aqui mesmo assim , não houve grandes desgraças.
bjos
AP

Ana Patudos disse...

maria
como já referi, não houve grandes aflições.
O rio é assim . Sabemos conviver com isso.
Ap

Ana Patudos disse...

viajante
enquanto houver rio, haverá cheias na Lezíria
AP